Arquivo de Abril, 2009

17
Abr
09

Material de Hereditariedade

Encontram-se disponíveis os diapositivos explorado nas aulas sobre a:

Não se esqueçam de explorarem as Fichas de Trabalho fornecidas…;)

e … bOm tRaBaLhO!!!

Anúncios
15
Abr
09

Charles Darwin e Gregor Mendel: a barreira linguística…

 

 

Comemoram-se os 200 anos do nascimento de Charles Darwin (1809-1882) e os 150 anos sobre a publicação da sua obra “A origem das Espécies”.

 

Darwin foi um homem brilhante, numa época onde a tecnologia era nada ou muito pouco desenvolvida e onde a igreja apoiava fortemente o Criacionismo. Esta teoria defendia que as espécies, teriam sido criadas num momento único de criação divina.

 

À rebeldia do seu pai, Darwin não seguiu medicina. Consta-se que terá ficado impressionado com uma operação feita sem anestesia…não tendo sido visto mais nas aulas. Mudou-se então para Teologia onde foi conhecido como o aluno que andava com os professores no campo.  Com eles aprendeu as bases da biologia e da geologia tendo ainda apreendido novos conhecimentos nas diversas publicações que então surgiam.

 

Em 1831, embarcou na viagem da sua vida!

Uma expedição de carácter científico, realizada à volta do mundo, a bordo do Beagle, foi extremamente importante para Darwin e para a ciência. Foi esta experiência que permitiu revolucionar a forma como o homem entendia o seu mundo. Nessa viagem, que decorreu durante cinco anos, observou e estudou o comportamento de espécies de seres vivos, até então desconhecidos, bem como analisou fósseis de várias espécies, algumas delas, já extintas e cujas dimensões eram bem diferentes das que ele conhecia.

 

Durante a viagem manteve uma intensa correspondência (durante a sua vida contam-se cerca de 14 500 cartas) com os seus professores e amigos em Inglaterra, enviando para estudo, vários materiais que colectara nos diferentes continentes (animais embalsamados, plantas secas, troncos de árvores, fósseis, rochas…). Nas diferentes paragens que o barco realizava fez várias expedições por terra, a pé ou a cavalo, e no Beagle, aguardava-o um pequeno compartimento, a que os companheiros de viagem chamavam “quarto das moscas”…O que viu e estudou fê-lo renunciar ao Criacionismo e no fim da sua viagem novas explicações se impunham.

 

No decurso da sua vida continuou o seu trabalho tendo apresentado a Teoria da Evolução das Espécies que convenceu parte da comunidade científica. Muitos continuaram defensores do Criacionismo não tendo acreditado nas ideias da Selecção Natural e na sobrevivência do mais apto que Darwin defendia, à luz da nova teoria, o Evolucionismo. Estas e outras descobertas da sua viagem e estudos foram expressas no seu livro “On the Origins of Species by Means of Natural Selection”, em 1859.  

Já no fim da sua vida poderia ter compreendido melhor os estudos que desenvolveu durante décadas se tivesse aberto uma correspondência cujo remetente era um desconhecido Gregor Mendel. Este monge austríaco realizou experiências sobre a transmissão dos caracteres hereditários utilizando a ervilheira. Contudo, terá começado com ratinhos, mas ao seu superior hierárquico, causava-lhe “espécie” o acasalamento entre ratos….. Mendel também não lhe explicou que as plantas, e no caso as ervilheiras, reproduziam-se porque tinham sexos…e ainda por cima os dois na mesma flor!!!!!

A língua alemã ou mesmo o cansaço de uma vida, atraiçoaram Darwin que, pelo facto de não abrir a carta de Mendel, não  pôde comprovar, à luz da embrionária Genética, a Teoria da evolução das espécies. Mendel, só mais tarde viu o seu estudo reconhecido, pois escrevera em alemão e não na língua universal, o latim!!! Os novos conhecimentos foram de tal forma importantes que Mendel foi considerado “pai” da Genética.

Muitos outros cientistas sucederam Darwin e todos eles têm dado o seu contributo para desvendar os fenómenos que regem o nosso mundo.

Em Lisboa, encontra-se uma exposição sobre DARWIN…não a percas… porque depois só mesmo noutra capital estrangeira;)

Sabe mais em:

http://www.gulbenkian.pt/index.php?object=160&article_id=1484

 

  

 

                                                        

       raquelopes

15
Abr
09

Academia de Verão 09′

Pelo quarto ano consecutivo, a Universidade de Aveiro organiza a Academia de Verão e convida os alunos do 5º ao 12º ano a passarem uma ou duas semanas na UA e a “Transformarem-se em estudantes universitários”.

Este Verão, de 12 a 17 e de 19 a 24 de Julho, podes viver e trabalhar no campus de uma das mais dinâmicas e inovadoras universidades do país e participar nos diversos programas científicos que temos para te oferecer.

Na edição deste ano da Academia de Verão vais poder experienciar em áreas tão diversas como, Ambiente, Artes Visuais, Biologia, Ciências da Educação, Contabilidade, Didáctica e Tecnologia Educativa, Eng.ª de Matérias, Física, Geociências, Línguas, Matemática, Mecânica, Química, Robótica, em programas especialmente preparados para que possas combinar a tua aprendizagem e o trabalho científico com momentos de lazer e convívio.

E como ser estudante universitário não se resume à frequência das aulas, preparamos também um conjunto de actividades culturais, desportivas e de lazer para que te sintas um verdadeiro aluno da UA.

Mais informações em:

http://www.ua.pt/academiadeverao/